Vai vai vai, que descanse em paz Meu Pai que tenha honra e conforto ao lado de Deus, sei que suas dores agora acabaram....

Publicado por Jackson Lima em Domingo, 3 de janeiro de 2016

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Li-Fi - A Internet Transmitida pela Luz do seu Ambiente

Você em algum momento já deve ter passado por uma experiência não muito satisfatória com sua conexão Wi-Fi da sua casa ou até mesmo dizendo "Internet Lenta" mas pensando nas solução de problemas como esse, está em desenvolvimento um sistema de transmissão de dados em redes locais que é o Li-Fi.

O Li-Fi nada mais é do que transmitir na luz ambiente sinais de internet em que seu dispositivo como celulares, tablets e notebooks possa se conectar com uma velocidade muito maior que o já habituais.

Figura 01 - Lâmpada LED
Fonte: DR/Velmenni


A vantagem desse sistema é que ele não vai interferir com a rede local de seu vizinho haja vista que a luz ambiente fica confinada em apenas um cômodo da casa não ultrapassando paredes.

Ela funciona da seguinte forma:

Figura 02: Diagrama de funcionamento do Li-Fi
Fonte: Google


Dessa forma é claro que o Li-Fi não funciona com lâmpadas comuns, como as incandescentes ou fluorescentes provavelmente elas queimariam nos primeiros segundos justamente pela modulação da internet que é feita na emissão de luz pela lâmpada.

Para o sistema funcionar, a lâmpada de LED irá transmitir o sinal, fazendo pequenas oscilações na sua luz (em nano segundos, totalmente imperceptíveis), e precisará de um dispositivo que possua um receptor específico para isto, um sensor de luz que interprete este sinal. “Nenhum de nossos celulares atuais possui isso”, comenta Thiago Ribeiro Claro, coordenador do curso de graduação Tecnologia em Sistemas para Internet do Centro Universitário Senac.


Diferentemente do Wi-fi, que utiliza sinais de rádio para transmissão, com um limite atual de 867 Megabits por segundo, o Li-Fi funciona com luz não visível, atingindo velocidades muito superiores. “Como a tecnologia é muito nova, várias pesquisas, procurando a melhor forma de transmitir os dados, estão ocorrendo. Até o ano passado o recorde de velocidade era 10Gbps, o que já seria muito mais rápido que o Wi-Fi”, explica o coordenador. “Neste ano, pesquisadores de Oxford conseguiram transmitir dados a 224 gigabits por segundo. Isso permitiria que 18 filmes fossem baixados em 1 segundo. Difícil prever qual será a velocidade desta tecnologia quando ela se tornar um produto comercial disponível, pois isso ainda depende dos padrões que serão adotados, mas com certeza será muito mais rápido que o Wi-Fi”, prevê o especialista.


Tecnologia Li-fi pode substituir o Wi-fi, prometendo acesso à internet por meio da luz
Figura 03: Lâmpada LED

Fonte: iStock

Outra vantagem do Li-fi está na segurança de transmissão de dados, pois a luz não atravessa paredes, dificultando o acesso de “intrusos”. Além disso, com as lâmpadas enviando sinais para o celular dentro de um ambiente fechado, é possível saber com precisão o seu posicionamento. “Por exemplo, um supermercado com Li-Fi pode oferecer um aplicativo em que você pesquisa um produto e o app exibe um mapa preciso indicando como chegar até a prateleira correta. Shoppings, aeroportos e grandes eventos também podem usufruir disto”, avalia Thiago Claro.

Ainda há muito o que melhorar, no entanto. Inicialmente, lâmpadas adequadas para o Li-Fi serão mais caras, mas os cientistas acreditam que o volume de vendas pode diminuir os custos de fabricação. E, até o momento, a velocidade de transmissão não é tão animadora, ficando apenas na casa dos kilobits por segundo – com algumas lâmpadas especiais, eles esperam atingir até 10 Gbps. 


Um teste feito em 2013, por Chi Nan, professor de Tecnologia da Informação da Fudan University, localizada em Shanghai, na China, conseguiu manter quatro computadores conectados à Internet por meio de apenas uma lâmpada de LED com um alcance de 150 Mbps.

Já os pesquisadores alemães atingiram a marca de 500 Mbps com aparelhos colocados a 2 m um dos outros. Com a distância de 20 m, a velocidade caiu para 100 Mbps. Até então, a velocidade mais rápida relatada era de 3 Gb/s, pelo Instituto Heinrich Hertz Fraunhofer, na Alemanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos comentários por questão de segurança são moderados...